Designer pode proporcionar descanso aos olhos do leitor


Mientras nos preparamos para los Premios ÑH20, convocatoria abierta a partir del 15 de septiembre, reunimos algunos comentarios del jurado de la pasada edición para saber más sobre el proceso de juzgar, sobre su experiencia e impresiones. 

Alessandro Alvim es editor ejecutivo visual en Editora Globo (Brasil) responsable de los periódicos O GloboExtra y de la revista Época. Alvim se licenció en Grabado por la Escuela de Bellas Artes de la Universidad Federal de Río de Janeiro. Su interés por la infografía y artes gráficas comenzó en la infancia con las enciclopedias y los libros sobre la historia de la Segunda Guerra Mundial. Empezó a trabajar en prensa en Río de Janeiro con 19 años. En la vigésima edición de la Cumbre Mundial de Infografía Malofiej, su nombre apareció como uno de los 25 infografistas más influyentes de los últimos veinte años. Su trabajo se ha reconocido en los Premios Malofiej, Society for News Design, Sociedad Interamericana de Prensa y el Premio Esso, el premio de periodismo más tradicional en Brasil.


Consumir a notícia nos dias de hoje não se resume mais à lógica do limite entre o tempo e o espaço, porque, ininterruptamente, o conteúdo jornalístico é produzido nos meios digitais, seguindo uma lógica 24/7, onde a informação nunca para de ser produzida e nem absorvida em diferentes plataformas e dispositivos. Essa pluralidade de caminhos pulveriza a distribuição e definitivamente dá poder de escolha ao leitor sobre o que ele deseja consumir e por qual meio: web-desktop, web-mobile, aplicativo, notificação, newsletter, redes-sociais e notificação (push). Cada um desses canais e elementos, com o seu propósito e público, compõem o desafio que as mídias tradicionais na América Latina passam em seu negócio digital, que é o de transformar o visitante único em heavy-user com alta propensão de ser assinante.

Todos esse processo de retenção pode ser definido como um funil, onde na grande boca estão os usuários únicos e no bico fino os assinantes. A tarefa é árdua e o trabalho do designer está em todos as etapas do funil. Por exemplo, a versão responsiva do site deve manter um grid proporcional e equilibrado de acordo com os breakpoints, que são os pontos de mudança de layout do site. Em geral, a estrutura utilizada é a de oito micro-colunas que formam quatro básicas. Esse grid pode ter 24 micro, formando 6 colunas. Pelo multiplicidade de 4 a quebra responsiva para o celular torna-se fácil e exponencial. A estruturação do grid é fundamental para criar uma modulação de leitura. A partir desse alinhamento é possível organizar os elementos tipográficos e de imagem. Nessa organização é importante seguir as regras de SEO (Search Engine Optimization) que são as otimizações que visam alcançar bom ranqueamento na busca orgânica dos buscadores. Até os arquivos de imagem e o seu uso devem ser otimizados. Uma foto deve ter o nome do arquivo claro com legendas que facilitem o entendimento do robô de busca. Deve ter o atributo Alt text, que é sua descrição inserida no código. O Alt é útil porque ajuda os deficientes visuais que usam leitores de tela e possibilita ao navegador mostrar a descrição da figura mesmo quando a mesma não é carregada.

A estruturação e ordenação dos elementos de matéria, como fotogalerias, listas ordenadas, listas numeradas e gráficos, guiam o leitor pelo consumo do conteúdo e reforçam a autoridade da página

O posicionamento da imagem influencia em uma matéria, porque o conteúdo dos parágrafos próximos da figura ajuda a dar o contexto para os buscadores. A estruturação e ordenação dos elementos de matéria, como fotogalerias, listas ordenadas, listas numeradas e gráficos, guiam o leitor pelo consumo do conteúdo e reforçam a autoridade da página. Todo esse esforço multidisciplinar do designer, do desenvolvimento (tecnologia) e do user experience (UX), busca uma boa navegação que gera permanência até a retenção do usuário. Se esse leitor se transformar em assinante entra a etapa de engajamento com o uso do aplicativo, o envio das notificações (push) e as newsletters, onde novamente há um trabalho multidisciplinar entre as áreas. Concluímos que o designer de notícia é mais complexo e amplo do que jamais foi porque hoje ele está integrado frontalmente a tentativa de monetizar a venda do conteúdo digital, entregando um desenho que transcenda qualquer suporte com estética agradável.

Este texto fue escrito para el libro ÑH19 que reúne los trabajos
ganadores de la edición de 2019 y las impresiones del jurado.

+ There are no comments

Add yours